Respiração Bucal

   O termo respiração bucal não se define por si só, simplesmente. Trata-se de uma entidade clínica bem
 mais complexa e pelo fato de não se respirar pela via normal, o nariz, surgem repercussões em várias áreas do organismo. O nariz é fundamental para o preparo do ar até sua chegada nos pulmões, filtrando-o, aquecendo-o e umedecendo-o. A respiração bucal ocorre principalmente nas crianças quando há aumento das adenóides, que é um tecido de defesa que fica nas vias aéreas (conhecida popularmente como "carne do nariz"), ou pelo aumento dos cornetos nasais por processos alérgicos (rinites).Esta alteração do padrão respiratório também acaba por forçar a desenvolvimento dentário, gerando alteração da oclusão e da mordida, além de prejuízo na fala. A criança com respiração bucal apresenta frequentemente baixo rendimento escolar, cansaço e pouca disposição para brincar. Por todas as alterações anatômicas acima mencionadas, há má postura e distensão abdominal devido a deglutição de ar inapropriadamente ao respirar pela boca. Desta forma, ao se observar a criança com respiração bucal deve-se procurar o quanto antes uma equipe especializada. Ao alergista cabe distinguir processos alérgicos que atuam como abstáculo a entrada de ar nas vias aéreas através de uma investigação minuciosa e com o tratamento na maioria dos casos, reverte-se o problema. A avaliação por um otorrinolaringologista ocorre quando há necessidade de intervenção cirúrgica (retirada das adenóides e/ou amígdalas) nos casos em que não há melhora total quando o tratamento alérgico é iniciado tardiamente ou quando haja outras anormalidades anatômicas.Quando há alteração secundária da arcada dentária a criança deve ser submetida a correção com ortodontista. A criança precisa também reaprender a respirar e a falar, com o auxilio de um fonoaudiólogo.Portanto a respiração bucal uma vez instalada requer a abordagem de uma equipe multidisciplinar alcançando atualmente resultados animadores e com grande melhora da qualidade de vida da criança e trazendo de volta a tranquilidade dos pais.Ao perceberem tais sintomas, procurem não retardar o início do tratamento a fim de serem obtidos resultados melhores e mais precoces.

 

 

Dra Rosângela Santos - Alergista                                www.alergodicas.com.br

 

  Site Map